Segundo o diretor do Joslin Diabetes Center, um dos principais centros de referência do mundo em diabetes, e professor da Universidade Harvard, Enrique Caballero é necessário que se faça uma mudança radical: deslocar recursos do tratamento do diabetes para a prevenção. “Os custos com hospitais, cirurgias e diálises são absurdos. Essa quantia gasta com as complicações é imensa e pode levar todos os sistemas de saúde pública do mundo à falência”, afirma Joslin.

“O diabetes mata mais do que o câncer e o HIV juntos. O perigo é que a doença pode apresentar os primeiros sintomas apenas 15 anos depois de seu início. Nesse estágio, a condição apresenta complicações que variam da disfunção sexual à amputação de uma perna”, alerta o professor.


Dados do Ministério da Saúde apontam que em apenas 12 anos o número de mortes em função da doença aumentou 38%. A epidemia de diabetes cresce de mãos dadas com o avanço da obesidade. “Se gastam milhares e milhares de dólares com as complicações do diabetes. É claro que o paciente precisa de tratamento, mas isso não resolve. Para barrar o crescimento da doença é necessário investir em prevenção”, conclui Joslin.